Blog Cipasa

Apresentação

Blog Cipasa
  • Confira 5 dicas para fazer seu gato se sentir em casa e evitar fugas

    Com mais de 23 milhões de gatos em lares brasileiros, tutores tem desafios para fazer da casa um lugar mais amigável aos bichanos.  

    Eles são fofos, leais, fazem muito bem a saúde física e mental dos tutores, e estão numa fase muito positiva quando o assunto é adoção: os gatos! De acordo com pesquisa do Instituto Pet Brasil, entre 2013 e 2018, o número de lares brasileiros com gatos cresceu 8,1% – mais que o dobro de lares com cães, em 3,8% – e a instituição já aponta que, muito em breve, teremos mais felinos que cães no Brasil.  

    Todo esse crescimento também deve ser acompanhado dos cuidados que os gatos devem receber, já que esses animais tem necessidades muito específicas e comportamentos diferentes dos cães. Esses cuidados são ainda maiores quando se cria esses felinos em casas, um ambiente não tão controlado quanto apartamentos. Isso porque os bichanos tem o hábito de perambular por aí, e isso pode causa muita apreensão em seus donos.  

    Pensando nesse ambiente mais livre, separamos algumas dicas para que seu gatinho se sinta mais à vontade em casa e também tenha suas saídas mais controladas. 

    1. Invista em brinquedos. 

    Gatos são seres curiosos por natureza, e muitas vezes as saídas pela vizinhança são motivadas por esse desejo. Pensando nisso, que tal fazer da sua casa um ambiente mais leve descontraído? 

    Para isso, enriqueça sua casa com brinquedos, redes, prateleiras e nichos. Isso quebra a monotonia do ambiente, e faz com que seu gato aproveite melhor essa curiosidade e instinto de caça e passe mais tempo no ambiente doméstico. 

    2. Leve o gato para passear. 

    Se o gato tem curiosidade pelo mundo ao redor da casa, por que não realizar esse desejo mostrando esse ambiente externo à ele? 

    Passeios não devem ser reservados somente aos cães. Desde que acostumados quando pequenos, os gatos também gostam de passear na coleira, e isso reduz a vontade em sair tanto de casa, e ainda faz com que o bichano gaste energia. 

    Só existe uma diferença: lembre-se que, com o gato, quem faz o caminho é ele!

    3. Faça a castração.  

    Embora ainda cheia de preconceitos, a castração é um ato de amor ao seu gatinho. Isso porque além de trazer vários benefícios para saúde, também traz alterações comportamentais, e isso inclui as saídas do ambiente doméstico.  

    Os felinos são territorialistas e também saem de casa para cruzar. Logo, a castração do bichano diminui a necessidade das saídas.  

    4. Dê atenção ao seu gatinho

    É comum que muitos gatos saiam de casa por se sentirem entediados. Dessa forma, a melhor maneira de entretê-los é dar muita atenção à ele. 

    Brinque com seu gato, dê carinho e amor. Quanto mais querido ele se sentir, menor a necessidade de procurar atenção em outros lugares.

    5. Pense na possibilidade de colocar telas ou criar ambientes controlados.

    É claro que, por ser uma casa, os ambientes domésticos não podem ser tão controlados para se criar um gato quanto um apartamento, por exemplo. Mas há vezes em que é possível sim construir um ambiente mais seguro para o bichano, e que evite fugas, mesmo em casa. 

    Avalie a possibilidade colocar telas em portas e janelas. Pense também se é possível fechar o quintal, ou pelo menos mantê-lo mais controlado. Cercas especiais e muros mais altos também podem dificultar o acesso ao ambiente externo.  

    6. Apresente seu pet aos vizinhos.

    Um dos motivos de maior preocupação aos tutores podem ser os vizinhos, já que nem sempre é seguro para os gatos andarem por aí, e casos de maus-tratos são comuns.  

    No entanto, caso sinta segurança, pode ser interessante apresentar seu pet aos vizinhos. Além de familiarizá-los ao felino, também reforça o laço afetivo que você tem com seu gatinho. 

    Além disso, seus vizinhos podem se sentir encorajados a te ajudar a cuidar do bichano, fazendo com que ele seja melhor monitorado.  

    Voltar

Postar comentário