Blog Cipasa

Apresentação

Blog Cipasa
  • Descubra Quanto Ganha um Corretor de Imóveis e Como se Tornar Um!

    Descubra quanto ganha um corretor de imóveis e como se tornar um

    Antes de saber o que é preciso para se tornar um corretor de imóveis, é necessário entender qual a função desse profissional. O que significa ser um? Então vamos lá!

    Corretor de imóveis é a pessoa que oferece suporte e orientação àqueles que procuram por venda, compra ou aluguel de algum imóvel, seja ele residencial ou comercial. Ou seja, ele é o profissional responsável pela intermediação entre o vendedor e comprador ou do proprietário e locatário.

    O conceito em si, de fato, é bastante simples. No entanto, ser um corretor de imóveis vai muito além de estabelecer um canal de comunicação para o interesse e o interessado.

    Muitas pessoas buscam pela profissão como um meio teoricamente rápido de reingressar no mercado de trabalho. Porém, caem de paraquedas em um meio totalmente desconhecido. 

    Sendo assim, antes de qualquer coisa, saiba que, para ser um bom profissional da área, requer muito estudo, estratégias, paciência e dedicação. Dito isso, vamos ao que realmente interessa, afinal, o que é necessário para ser um corretor de imóveis?

    O primeiro passo


    Ao decidir seguir a carreira de corretor de imóveis, a primeira pergunta que alguém se depara é justamente “por onde começar? ”. Pois bem, o primeiro passo é ingressar em um curso Técnico de Transações Imobiliárias em qualquer instituição certificada pelo Conselho Regional dos Corretores (CRECI). 

    Para isso, é necessário ser maior de idade e ter concluído o ensino médio. O curso tem duração de 6 a 18 meses, com alternativa entre presencial, online e semipresencial. Antes da graduação, contudo, o aluno precisa cumprir cerca de 128 horas de estágio supervisionado, no qual ele irá experimentar na prática um pouco da vida profissional do corretor.

    Existe também a opção da formação superior em Ciências Imobiliárias. Uma vez bacharel nessa área, você estará apto a planejar, orientar, oferecer pareceres e prestar assessoramento a órgãos públicos e privados. 

    O curso tem duração de quatro anos e dentre as disciplinas está Língua Portuguesa, Matemática, Instituições de Direito, Legislação, Introdução à Economia, Introdução à Estatística, Contabilidade Geral, Introdução à Administração e Introdução às Atividades Imobiliárias.

    Depois de pegar o diploma, é hora de se cadastrar no CRECI, órgão federal que normatiza e regulamenta a profissão prevista na Lei Federal Nº 6.530/78. Embora os documentos para a emissão do registro possam variar em cada Estado, o pedido básico inclui:

      • Carteira de Identidade;
      • CPF;
      • Título de Eleitor com comprovante de votação da última eleição;
      • Certificado de reservista, para homens até 45 anos;
      • Diploma de conclusão do curso técnico;
      • Fotos 3×4;
      • Comprovante de pagamento da anuidade, emolumentos e taca expedida pelo CRECI.

      O prazo de entrega também varia entre 30 e 60 dias. Com o registro CRECI em mãos, a aventura no mercado de trabalho finalmente começa a valer.

      O que faz um corretor de imóveis


      O setor imobiliário é um ramo bem consolidado no Brasil, com crescimento significativo e repleto de oportunidades. O profissional dessa área dispõe da habilidade para gerir pessoas e situações, além de ter ótima visão do mercado.

      Dessa forma, as principais funções do corretor de imóveis ao ingressar na área são:

        • Trabalhar na venda ou locação de imóveis novos ou usados, por meio de imobiliárias, construtoras, loteadoras e afins;
        • Agir na capacitação de novos negócios, buscando imóveis adequados a determinadas especificações;
        • Prestação de serviço como avaliador da propriedade;
        • Ser correspondente imobiliário da Caixa Econômica Federal, oferecendo financiamentos através dos programas da instituição.
        • Ou mesmo abrir sua própria imobiliária.

        Lembrando que essas são apenas algumas funções que o corretor de imóveis pode exercer. O setor imobiliário é amplo e possui ramificações com grandes oportunidades de crescimento. Uma carreira que, levada a sério, existe inúmeras vantagens e recompensas.

        Quanto ganha um corretor de imóveis?


        Talvez esse seja o primeiro questionamento de muitas pessoas interessadas na carreira. Antes mesmo de entender ao certo como o profissional da área atua. Assim sendo, vamos esclarecer uma das maiores dúvidas da área, afinal, quanto ganha um corretor de imóveis?

        Infelizmente, a resposta não é tão simples quanto em outras profissões, as quais possuem piso salarial. Ou seja, não há valor fixo. Seja trabalhando de carteira assinada ou autônomo, o salário de um corretor varia bastante, pois dependerá das comissões adquiridas com o fechamento de negócios. 

        A renda está diretamente ligada com a quantidade e preço dos imóveis que negocia. Portanto, podemos dizer que o salário de um corretor pode alterar de acordo com seu tempo de trabalho. Isso de forma geral, pois a carga horária também pode variar conforme a área de atuação escolhida pelo profissional.

        Como as comissões do corretor de imóveis funcionam?


        Embora não tenha como definir um salário fixo, as comissões, por sua vez, têm porcentagens pré-estabelecidas. Assim como a renda, elas também variam de acordo com o tipo de imóvel negociado.

        O CRECI (Conselho Regional dos Corretores) determina ao corretor 6% do valor da transação, contudo, depende se a propriedade em questão está para venda ou aluguel. No primeiro caso, a comissão fica entre 6% e 8%, se o imóvel estiver em zonas urbanas ou industriais

        Por outro lado, os números mudam se a propriedade estiver em área rural, sendo entre 6% e 10%. Ele tem uma queda na condição de provenientes de ação judicial, indo para 5% de comissão.

        Agora vamos aos aluguéis! A comissão aqui, tende a ser referente ao valor do aluguel em si. Assim, normalmente, a quantia paga pelo locatário no primeiro mês é do corretor. Em situações de locação temporária, a comissão pode chegar a 30% do preço recebido pelo proprietário.

        Os corretores que administram ou gerenciam imóveis, também ganham comissão pelo trabalho. Nos aluguéis, o valor fica entre 8% e 10%, mais as taxas recebidas por meio do locador, as quais não podem ser inferiores a R$ 50 reais. 

        Aos profissionais que administram condomínios, a comissão é de 5% a 10% em cima do valor recebido por mês, sendo o piso de R$ 850 reais. 

        Por fim, existe variação no valor da comissão sobre a idade da propriedade. Se o imóvel for recente, a porcentagem fica entre 4% e 6%, se for antiga, ela é fixada em 6%. 

        Como visto, é quase impossível estabelecer a renda de um corretor de imóveis, visto que ela sofre alterações conforme as variáveis do mercado. Mesmo assim, tenha em mente que o setor imobiliário é amplo e possui várias oportunidades de crescimento e remuneração.


    Voltar

Postar comentário